Close

Not a member yet? Register now and get started.

lock and key

Sign in to your account.

Account Login

Forgot your password?

Indústria paulista tem saldo negativo de 26 mil empregos em agosto

A indústria paulista fechou 26 mil vagas na passagem de julho para agosto, o equivalente a uma queda de 0,90%, na leitura sazonal. Os dados são da Pesquisa de Nível de Emprego da Fiesp e do Ciesp, divulgados nesta quinta-feira (17/9).

O Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos (Depecon) das entidades também revisou para baixo a estimativa para o emprego industrial em São Paulo.

“Da última vez nós havíamos dito que temíamos uma perda de 200 mil empregos da indústria de transformação em 2015. Após o mês de agosto, já nos parece que está mais próximo dos 250 mil empregos a menos”, projetou Paulo Francini, diretor do Depecon. “Realmente saímos do surto e fomos à epidemia da perda de empregos”, completou.

O Depecon também revisou para baixo o prognóstico para o Produto Interno Bruto da indústria de transformação para uma queda de aproximadamente 9%. Anteriormente, a equipe econômica da Fiesp e do Ciesp esperava perda de 8% para o PIB do setor. “É uma queda trágica”. A previsão para o PIB do país continua apontando para uma queda de 2,5% este ano.

Números de agosto

No acumulado do ano, segundo o Depecon, a indústria paulista já acumula um saldo negativo de 119 mil empregos. Este é o pior período comparativamente da série histórica da pesquisa, iniciada em 2006.

Se comparado com agosto de 2014, o resultado é ainda pior: são 216 mil vagas a menos que no mesmo mês do ano anterior.

“Em 2009 tivemos coisa semelhante a essa e perdemos só 110 mil empregos. Em 2015 vamos perder mais que o dobro”, acrescentou Francini sobre o saldo de empregos no setor no final do ano.

Do total de demissões em agosto, 1.624 foram realizadas pelo setor sucroalcooleiro e 24.376 pelo restante da indústria.

A pesquisa do Depecon sonda a situação do emprego em 22 setores em todo o Estado. No levantamento de agosto, 17 anotaram baixa em seu mercado de trabalho, três ficaram estáveis e dois registraram contratações.

No campo das demissões, destaque para a indústria de produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos, que fechou 5.116 postos de trabalho. Já entre as contratações, o setor de alimentos se destacou com a criação de 338 vagas, em função da demanda por produtos alimentícios típicos de final de ano, como o panetone.

Segundo Francini, essas contratações da indústria de alimentos começaram a “ocorrer em agosto, mas nem de longe suportam a perda de outros setores. É insuficiente para gerar um saldo positivo”.

Regiões

Das 36 regiões consultadas pelo Depecon, 29 informaram demissões, seis contrataram e uma se manteve estável.

A região de Matão foi que a registrou a alta mais expressiva no emprego industrial, com ganho de 2,23% em agosto ante julho, em meio a contratações pela indústria de máquinas e equipamentos (5,67%).

Santos também se destacou, com alta de 1,25%, influenciada pelos setores de confecção de artigos de vestuário (10,96%), em meio à chegada do verão e do aumento da procura por moda praia, e de produtos químicos (2,38%). E São José dos Campos registrou aumento de 0,54% no saldo de empregos, impulsionado pelo segmento de produtos alimentícios (5,37%) e pela indústria de equipamentos de transporte (0,41%).

Entre as perdas, destaque para Sertãozinho, que caiu 4,99%, influenciado por perdas nas indústrias de produtos de metal (-14,48%) e de máquinas e equipamentos (-10,93%).

Em Piracicaba, o emprego caiu 3,83%, abatido por perdas nas indústrias de máquinas e equipamentos (-8,52%) e de produtos alimentícios (-2,05%). E a região de Bauru perdeu 2,83% em emprego no mês pressionado pelos setores de produtos de metal (-26,12%) e de confecção de artigos de vestuário (-5,14%).

(Agência Indusnet Fiesp – 17/09/2015)

Login